Categoria: Cursos

Promoção Desafiando Limites PRORROGADA!! 35% de desconto nos cursos do CERS!

comentários Compartilhe:

4

A promoção Desafiando Limites ACABA de ser prorrogada! Vocês terão mais 24h para adquirir os cursos do Portal com 35% de desconto!

Confiram alguns dos cursos* do CERS que estão com desconto:

1 - Curso Preparatório para Carreira Jurídica 2015.2 Módulos I e II

2 - Curso Completo para Concursos de Cartório 2015 (Outorga de Delegação de Serviços Notariais e de Registros Públicos)

3 - Delegado de Polícia Civil 2015

4 - Curso Completo para Concursos de Analista Administrativo de Tribunais 2015

Muito bom!

Vejam o regulamento: bit.ly/desafiandolimitesreg

*Esta promoção não é valida para os cursos de pós-graduação; curso OAB XVIII 60h; curso OAB XVIII Combo (60h + Super UTI Online).

Aproveitem esse super desconto para adquirirem os MELHORES cursos do mercado!

comentários Compartilhe:
Categoria: Notícias

Concurso com 368 vagas na Índia atrai 2,3 milhões de candidatos, incluindo mestres e doutores

comentários Compartilhe:

India Job Rush

Para quem acha que no Brasil a disputa por uma vaga em concursos públicos é um dos piores obstáculos para se conquistar um cargo no serviço público, está aí uma amostra do verdadeiro sentido da palavra CONCORRÊNCIA. Claro que os certames aqui no Brasil estão cada vez mais concorridos, isso é fato, mas como podemos observar na matéria abaixo publicada pelo site da Folha de São Paulo, em outros países esse quadro é muito pior.

Confiram abaixo:

Um anúncio de 368 vagas de emprego de baixo salário em um governo estadual indiano atraiu 2,3 milhões de interessados (dezenas deles com doutorado), em um sinal do desespero dos jovens do país por um trabalho que lhes traga segurança.

Pelos cálculos das autoridades do Estado de Uttar Pradesh, mesmo se 2.000 candidatos forem entrevistados ao dia, serão necessários até quatro anos para que todos sejam analisados.

Com vagas para profissionais como guarda-noturno e ajudantes de limpeza para a Assembleia Legislativa local o governo de Uttar Pradesh pensava em atrair pessoas com ao menos cinco anos de educação escolar, mas entre os interessados estavam 255 doutores (em áreas como engenharia) e 25 mil mestres.

O salário inicial é de 16 mil rupias (cerca de R$ 1.000).

A procura sem precedentes mostra como é difícil o mercado de trabalho nas regiões mais pobres do país, apesar de a taxa nacional de desemprego ser inferior a 5%.

Ao se eleger no ano passado, o primeiro-ministro Narendra Modi prometeu criar empregos e, apesar de programas do governo para capacitar profissionais, a realidade é que a Índia tem dificuldades para gerar vagas para os 12 milhões de estudantes que entram no mercado de trabalho todos os anos -sem falar no enorme saldo de desempregados na população de 1,3 bilhão de pessoas.

Economistas e investidores dizem que a maior parte da culpa está nas regras trabalhistas, que não encorajam as contratações pelo setor privado, sem falar nos benefícios concedidos para os funcionários públicos.

Hoje menos de 10% dos 500 milhões de trabalhadores indianos estão no mercado formal -metade destes tem emprego em estatais como a Indian Railways (ferrovias).

Para Surjit Bhalla, presidente do conselho da Oxus Investments (firma de investimento financeiro), a procura de milhões de pessoas por um emprego público mostra “tudo que está errado na Índia: tanto nas leis trabalhistas como no fato de que no funcionalismo você não precisa fazer nada e tem ótimo salário. Você não pode ser demitido, está lá para todo o sempre”.

Raghuram Rajan, presidente do BC indiano, diz que o problema é que o emprego público tem um “alto status” na sociedade indiana, graças à estabilidade e aos benefícios.

Segundo ele, não há atalhos para resolver a questão: o ambiente de negócios precisa ser atrativo para o investimento, para a criação de bom empregos, produtivos no setor privado.

Fonte: Folha de S.Paulo

comentários Compartilhe:
Categoria: Promoções

Promoção Desafiando Limites valendo!! 35% de desconto nos cursos do Portal!

comentários Compartilhe:

4

O ultramaratonista Márcio Villar deu mais de 750 volta na ultramaratona do Rio de Janeiro, um feito fantástico, e ativou a nossa promoção “Desafiando Limites”: os cursos do Cers e do Portal Exame de Ordem com 35% de desconto!

A promoção vai até às 10h do dia 21/09/2015, ou seja, só até amanhã!

Muito bom!

Vejam o regulamento: bit.ly/desafiandolimitesreg

Vejam também cursos do CERS que estão na promoção: CERS/Cursos

Aproveitem esse super desconto para adquirirem os MELHORES cursos do mercado!

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos no horizonte

Câmara aprova criação de 66 cargos efetivos e comissionados para o TRT de Fortaleza

comentários Compartilhe:

TRT Fortaleza

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 961/15, do Tribunal Superior do Trabalho, que cria 66 cargos efetivos e comissionados no Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região, em Fortaleza (CE).

Pelo texto, as despesas decorrentes da execução da proposta serão pagas pelas dotações orçamentárias consignadas ao Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região no Orçamento Geral da União.

A proposta divide as vagas da seguinte maneira:
– 27 cargos de provimento efetivo de Analista Judiciário, Área Apoio Especializado – Especialidade Tecnologia da Informação;
– 14 cargos de provimento efetivo de Técnico Judiciário, Área Apoio Especializado – Especialidade Tecnologia da Informação;
– um cargo em comissão CJ-3; e
– 24 funções comissionadas, sendo quatro FC-5, cinco FC-4, dez FC-3 e cinco FC-2.

O relator na comissão, deputado Benjamin Maranhão (SD-PB), defendeu a aprovação do projeto. “O número atual de servidores em seu quadro de pessoal é insuficiente para suprir o necessário suporte técnico aos projetos de automatização de rotinas e processos do trabalho que consolidaram definitivamente a guarda dos autos sob a responsabilidade da área, acarretando mudanças de paradigma em relação à gestão de processos judiciais trabalhistas quanto aos aspectos de segurança, autenticidade, confiabilidade e acessibilidade dos autos digitais”, justificou o parlamentar.

Tramitação

O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Plenário.

Confiram abaixo a íntegra do projeto:

PL 961-2015

Fonte: Agência Câmara

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos no horizonte

Câmara aprova projeto que cria 74 efetivos e em comissão no TRT do Piauí

comentários Compartilhe:

SONY DSC

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou, na quarta-feira (9), o Projeto de Lei 8309/14, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que cria 74 cargos, efetivos e em comissão, para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Teresina (PI).

Pelo texto, os recursos financeiros necessários à execução da lei correrão à conta das dotações orçamentárias destinadas àquela corte regional no Orçamento Geral da União.

O relator na comissão, deputado Laercio Oliveira (SD-PB), defendeu a aprovação do projeto. “A proposição supre todos os requisitos à sua admissibilidade, tanto porque respeita o disposto nas normas regulamentadoras, editadas pelo Conselho Nacional de Justiça, quanto à comprovação da sua necessidade e os benefícios que trará em favor da sociedade brasileira”, argumentou o parlamentar.

Tramitação

O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Plenário.

Confiram abaixo a redação da do PL 8309/2014 na íntegra:

PL8309-14

Fonte: Agência Câmara

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos no horizonte

Comissão aprova criação de nove varas do trabalho e 1.032 cargos e funções no Paraná

comentários Compartilhe:

TRT_9

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara aprovou, na quarta-feira (9), o Projeto de Lei 1916/15, do Tribunal Superior do Trabalho, que cria nove novas varas no Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, que corresponde ao estado do Paraná.

Elas serão instaladas quando houver necessidade e recursos disponíveis nas cidades de Campo Largo, Campo Mourão, Cianorte, Ibaiti, Goioerê, Medianeira, Palotina, Paranavaí, e Rolândia.

O relator da proposta, deputado Benjamin Maranhão (SD-PB), defendeu a aprovação do texto. “A medida proposta é necessária para ampliar a atuação da justiça especializada na 9ª Região, de forma a atender a atual demanda, assim como a demanda reprimida constatada quando da instalação de postos avançados do Tribunal”, disse.

Cargos

A proposta também traz a estrutura de pessoal necessária para o funcionamento das novas varas, com a criação dos correspondentes cargos de juízes, cargos efetivos e em comissão e funções comissionadas.

Serão nove juízes do trabalho, 20 juízes do trabalho substitutos, 636 cargos efetivos, sendo 143 oficiais de Justiça, 31 cargos em comissão e 193 funções comissionadas.

O TST argumenta que desde a edição das Emendas Constitucionais 20/98, e 45/04, a justiça trabalhista teve a sua competência ampliada, aumentando o volume de trabalho. Com as mudanças, o tribunal deve fazer frente ao volume de trabalho.

A proposta também visa resgatar a paridade entre o quantitativo de cargos de juízes titulares e de juízes substitutos, pois, com a aprovação da Lei 12.617/12, foram criadas 11 varas no âmbito da 9ª Região, sem a criação dos respectivos cargos de juiz substituto.

Tramitação

A proposta tem prioridade e ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votada pelo Plenário.

Confiram abaixo a redação do Projeto de Lei 1916/15 na íntegra:

TRT_PR_PL_1916-15

Fonte: Agência Câmara

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos, Editais

STJ divulga edital com horários e locais das provas do concurso para técnicos e analistas

comentários Compartilhe:

STJ (2)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) publicou hoje o edital de convocação dos candidatos aos cargos de técnico e analista, bem como os horários e locais de aplicação das provas objetivas e discursivas. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), organizadora do certame, divulgará as informações em seu site no próximo dia 21. O concurso está oferecendo 65 vagas para nível médio e superior com salários que variam entre R$5.365,92 e R$8.803,97.

Edital – Horários e os locais de aplicação das provas objetivas e da prova discursiva

Para Analista Judiciário, há 41 oportunidades para 14 cargos em áreas e especialidades. Será exigido diploma de ensino superior referente ao cargo pretendido nas seguintes áreas: Tecnologia da Informação, Arquitetura, Arquivologia, Comunicação Social, Ciências Contábeis, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Fisioterapia, Medicina, Pedagogia, Serviço Social e para qualquer área de formação. Para algumas funções há variação na carga horária de trabalho.

Os candidatos a uma das 24 vagas disponíveis ao cargo de Técnico Judiciário, deverão possuir certificado de conclusão do ensino médio, para atuar nas seguintes áreas: Administrativa, a Área de Atividade: Apoio Especializado – Especialidade: Saúde Bucal e a Área de Atividade: Apoio Especializado – Especialidade: Tecnologia da Informação. Há algumas especificações inerentes às especialidades, portanto, é preciso que o candidato fique atento aos detalhes.

Todos os candidatos serão avaliados através de provas objetivas. Haverá ainda prova discursiva, somente para os cargos de Analista Judiciário; teste de aptidão física, somente para o cargo de Analista Judiciário – Área: Administrativa – Especialidade: Segurança.

As provas para o cargo de analista judiciário, versarão sobre as disciplinas de Noções de Direito Constitucional; Noções de Direito administrativo (exceto para as especialidades de analista administrativo); Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça e suas Alterações; Língua Inglesa (exceto para as especialidades de Análise de Sistemas – Comunicação Social e Suporte em Tecnologia da Informação); Noções de Informática (exceto para as especialidade de Análise de Sistemas da Informação e Suporte em Tecnologia da Informação) e; Noções de Sustentabilidade.

Já para o cargo de Técnico Judiciário, serão aplicadas provas abordando as matérias de Língua Portuguesa; Noções de Informática (exceto para a especialidade de Tecnologia da Informação); Noções de Língua Inglesa (exceto para especialidade em Tecnologia da Informação); Noções de Direito Administrativo (exceto para a área administrativa); Noções de Direito Constitucional; Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça e Alterações; Raciocínio Lógico (exceto para especialidade em Saúde Bucal); Noções de Sustentabilidade.

Para todos os cargos, além da avaliação de conhecimentos gerais, descritos acima, haverá disciplinas específicas referente à cada cargo/especialidade, que deve ser observada atentamente pelo candidato no conteúdo programático presente no edital.

As provas terão duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 27 de setembro de 2015, no período matutino para analistas e vespertino para técnicos.

O último concurso para o STJ foi realizado em 2012 para provimento de 28 vagas de preenchimento imediato, no entanto, foram convocados 986 aprovados, ou seja, 35 vezes o número de vagas inicialmente ofertadas.

Com informações do CorreioWeb

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos

Como serão pautados os concursos públicos diante da política governamental de ajuste fiscal?

comentários Compartilhe:

00

O Governo Federal adotou recentemente medidas de ajuste fiscal para reforçar os cofres públicos na tentativa de amenizar a crise econômica que inclusive está refletindo nas relações internacionais, o que já é de conhecimentos de todos. Com as notícias amplamente divulgadas na mídia, concurseiros de todo o país estão temerosos quanto ao futuro dos concursos públicos, já que um dos ajustes afeta diretamente a realização dos mesmos.

Para que vocês possam entender melhor, vejam quais foram as medidas anunciadas no início da semana pelo Governo:

– adiamento do reajuste dos servidores, resultando em uma redução de R$ 7 bilhões na despesa obrigatória. O reajuste já negociado ou em negociação com servidores do Executivo está mantido, mas a data de início da parcela prevista para 2016 será adiada de janeiro para agosto;

suspensão de concursos, com impacto de R$ 1,5 bilhão a menos nas despesas obrigatórias, sendo R$ 1 bilhão no Poder Executivo e R$ 0,5 bilhão nos demais poderes;

eliminação do Abono de Permanência, o valor recebido por servidores públicos que já têm condições de se aposentar, mas continuam trabalhando. A medida requer uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) e alcançará a economia de R$ 1,2 bilhão;

– a implementação do teto remuneratório do serviço público, que é limitado pelo subsídio dos ministros do Supremo Tribunal Federal, com economia prevista de R$ 800 milhões. A medida irá disciplinar a criação de verbas adicionais extra-teto e determinar o cruzamento de dados entre União, estados e municípios para evitar extrapolação do teto;

– redução de gasto com custeio administrativo. Por meio de renegociação de contratos (aluguel, manutenção, segurança, veículos e outros itens), limites para gastos com servidores (diárias, passagens, auxílio moradia e telefone) e redução de ministérios e cargos de confiança (Reforma Administrativa), será alcançado um corte de R$ 2 bilhões;

– direcionamento de recursos do FGTS para o pagamento de parte das despesas da faixa I do  Programa Minha Casa Minha Vida, substituindo gastos inicialmente previstos no orçamento da União. O impacto será de R$ 4,8 bilhões a menos nos gastos discricionários;

– redução de R$ 3,8 bilhões no valor inicialmente previsto para o PAC em 2016, com proposta de direcionamento de emendas parlamentares obrigatórias para os programas do PAC;

– cumprimento do gasto constitucional com Saúde, reduzindo as despesas em R$ 3,8 bi. Haverá uma recomposição pelo gasto obrigatório das emendas parlamentares individuais, para as programações prioritárias da Saúde;

– revisão do gasto com subvenção de garantia de preços agrícolas. O valor do Programa de Garantia do Preço Mínimo será revisado para a média de execução do programa nos últimos quatro anos (R$ 600 milhões), uma redução de R$ 1,1 bilhão.

Saiba mais sobre o que será feito para aumentar a arrecadação:

– redução do gasto tributário, fazendo com que o governo diminua a política de estímulos a setores em função do momento econômico. No caso do Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra), o governo irá reduzir o benefício tributário aos níveis de 2014. O impacto positivo nas contas será de R$ 2 bilhões. Também será reduzido o benefício do Regime Especial da Indústria Química (REIQ) do Pis/Cofins em 50% em 2016 e zerando em 2017; impacto de R$ 800 milhões. No caso dos Juros Sobre Capital Próprio (JCP) haverá dois movimentos, resultando em ganho de R$ 1,1 bilhão: a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) será limitada em 5% para efeito de cálculo de JCP; e haverá um aumento da alíquota de 15% para 18%. E no caso do imposto de renda de pessoa jurídica, haverá uma dedução do valor devido ao Sesi, Sesc e Sest, suspendendo o abatimento duplicado no caso das empresas que investem em automação, com ganho de R$ 2 bilhões;

– realocação de fontes de receitas. Haverá uma redução de 30% nas alíquotas do Sistema S  e Sebrae e oneração da contribuição previdenciária incidente sobre a folha em 0,9%. Serão R$ 6 bilhões para os gasto com Previdência;

– medidas arrecadatórias trarão um aumento de receitas de R$ 28,4 bilhões. No caso do Imposto de Renda da Pessoa Física, será cobrada uma alíquota progressiva na alienação de bens, começando em 15% no caso de vendas de até R$ 1 milhão, chegando a 30% quando ultrapassar R$ 20 milhões. Também está prevista a recriação provisória, por no máximo quatro anos, da CPMF, com alíquota de 0,20 %.

Fonte: Planalto

Muito bem!

A divulgação de tais medidas causou um enorme furor entre os concurseiros que tanto sonham ingressar na carreira pública, fazendo com que muitos suscitem até interromper os estudos, o que é um grande ERRO.

Não vou aqui adentrar nos demais temas que não têm relação direta com o funcionalismo público, pois, para tanto, teríamos que abordar assuntos que não terão reflexo direto no universo dos concursos. E meu objetivo aqui, por hora, é esclarecer dúvidas que pairam nas mentes desesperadas dos concurseiros.

Para que vocês possam entender melhor o real impacto da atual política governamental na esfera dos concursos públicos, vamos por partes.

Inicialmente é importante saber quais as REAIS consequências das medidas de ajuste fiscal tomadas pelo Governo no que tange à realização dos concursos públicos nas esferas federal e estadual.

Pois bem. Apenas certames que fazem parte da administração pública direta estão no plano da suspensão. Concursos públicos estaduais e municipais não serão afetados, assim como as seleções das empresas que fazem parte da administração indireta, a exemplo das sociedades de economia mista, como o Banco do Brasil.

Ainda hoje divulguei aqui no blog uma nota publicada pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) esclarecendo quais concursos serão abrangidos pelas novas regras.

Ministério do Planejamento garante que concursos já autorizados estão mantidos! Nomeações dentro do número de vagas também!

Isso significa que o quadro não é tão catastrófico como avaliado inicialmente. Poderemos ter uma redução considerável de concursos públicos até final do próximo ano, no entanto, não passa nem perto de ser o fim das contratações no setor público. E agora é hora do concurseiro adotar uma postura visionária, manter a calma e não desviar o foco.

E é importantíssimo frisar que a redução será nos concursos para o Executivo Federal. O Judiciário Federal não será afetado, e o judiciário dos Estados menos ainda!

Situação parecida ocorreu em 2011 quando o Governo suspendeu a realização de concursos públicos como medida de austeridade. O resultado foi que, nos meses subsequentes à bomba anunciada, gradativamente, as seleções foram sendo realizadas. Não quero aqui criar falsas esperanças afirmando que o mesmo acontecerá no quadro atual, mas posso dizer sem medo de errar que esta não é uma situação permanente. A máquina pública não pode parar, isto é fato.

O serviço público, em especial alguns setores como segurança pública, educação e previdência social, vem mal das pernas há algum tempo. Se esta interrupção na contratação de servidores perdurar por muito tempo, o caos irá se instalar.

Não há sequer um setor do serviço público que não esteja sofrendo com déficit de funcionários, causando precariedade na prestação dos serviços mais básicos. Sem contar que, anualmente, milhares de servidores deixam de trabalhar em razão de aposentadorias.

Outro fato que merece atenção é o corte no abono de permanência dos servidores públicos. Isso certamente irá representar um aumento fenomenal no número de requerimentos de aposentadoria já que este benefício é concedido ao servidor ativo que já está apto a se aposentar mas permanece no cargo. A partir do momento que não houver mais vantagem na permanência do cargo, os servidores que estiverem nessa condição deixarão suas funções.

Um levantamento realizado pelo Ministério do Planejamento mostra que mais de 100 mil servidores são beneficiados pelo abono de permanência e este número vem aumentando consideravelmente nos últimos seis anos, como demonstrado abaixo:

abono de permanência

Não é preciso ser especialista em administração pública para saber o resultado disso. Quanto mais funcionários encerrarem suas atividades, mais vagas serão abertas. Isso é óbvio! Sem servidores a máquina pública não funciona. E para que os serviços públicos não parem, será necessário, obrigatoriamente, reforçar o quantitativo de funcionários através de concursos públicos. É uma questão de lógica.

Consequentemente, a suspensão dos concursos públicos não irá durar muito tempo. No máximo, teremos uma diminuição nas seleções no próximo ano, como dito anteriormente. Mas afirmar que não haverá NENHUM concurso, não tem o menor fundamento.

Qual postura o concurseiro deve adotar a partir de agora?

Algumas considerações são óbvias. Ainda que 2016 seja um ano difícil para quem almeja ingressar na carreira pública, os concursos públicos não poderão parar. Não se trata de medida eterna, se assim fosse, diversos órgãos públicos teriam que parar de funcionar em razão da carência de funcionários, como podemos observar com o Instituto da Seguridade Social (INSS) que completou dois meses de greve no início deste mês, tendo como uma das principais reivindicações, o reforço no quadro de funcionários através de concurso público.

Muitas pessoas traçam uma estratégia esperando que dê resultado conforme o que foi planejado. Muitos concurseiros estão se preparando para determinados concursos há muito tempo e receber uma notícia como esta, de fato, pode ser um verdadeiro balde de água fria.

Mas até, notem, se considerarmos que o pacote apresentado na última segunda-feira será aprovado. E a situação do governo não está fácil:

Aliados defendem governo e mandato de Dilma, mas ponderam que pacote terá ‘tramitação dura’

Congresso resiste a aumentar impostos

Dilma atira na base, diz senador do PT

Governadores fazem apelo por CPMF, mas Cunha vê votação ‘fadada à derrota’

Então, o que fazer diante dessa situação?

Em primeiro lugar, pode parecer clichê (e talvez o seja), mas, ver o lado positivo dessa situação e tirar proveito dela, neste momento, fará toda diferença.

E por que digo isto?

Porque o TEMPO é o melhor aliado do concurseiro. Como se trata de uma suspensão por tempo determinado, haverá mais tempo para estudar. Sem mencionar que, possivelmente, haverá um acúmulo de vagas em virtude dessa paralisação temporária. Portanto, quem persistir e focar nos estudos, certamente terá vantagem futuramente. O resultado disso será uma verdadeira enxurrada de concursos a partir de 2017.

Quem se preparar, verá!

comentários Compartilhe:
Categoria: Concursos, Editais

Publicado o edital do concurso para o TRT da 9ª região! Vagas para técnico e analista

comentários Compartilhe:

TRT9

O Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região que abrange o Estado do Paraná (TRT9) publicou na manhã de hoje o edital de abertura de seu novo concurso público destinado à formação do cadastro de reserva para os cargos de técnico e analista judiciário, de nível médio e superior respectivamente.

Vamos aos detalhes do concurso:

Organizadora: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Cargos: Técnico Judiciário – Áreas: Administrativa; Administrativa (Especialidade Segurança); Apoio Especializado (Especialidade Tecnologia da Informação). Analista Judiciário – Áreas: Judiciária; Judiciária (Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal); Administrativa; Apoio Especializado (Especialidade Tecnologia da Informação).

Remuneração: Analista Judiciário (área judiciária – especialidade oficial de justiça avaliador federal) – R$10.425,75; Analista Judiciário (demais áreas e especialidades) – R$8.803,97; Técnico Judiciário (área administrativa – especialidade segurança) – R$6.354,38; Técnico Judiciário (todas as áreas e especialidades) - R$5.365,92

Requisitos: Para o cargo de Técnico Judiciário, o candidato deverá possuir certificado de conclusão do ensino médio e, dependendo da área escolhida, curso técnico equivalente. Já para o cargo de Analista Judiciário será exigido diploma de curso superior referente à área pretendida.

Inscrições: 10 horas do dia 21 de setembro às 14 horas do dia 20 de outubro de 2015 (horário de Brasília).

Valor da taxa de inscrição: R$110,00 para Analista Judiciário – todas as áreas/especialidades e R$90,00 para Técnico Judiciário – todas as áreas/especialidades.

Data prevista da prova objetiva: 29 de novembro de 2015 (período matutino para Técnico e vespertino para Analista. As provas serão aplicadas nas cidades de Curitiba, Cascavel, Guarapuava, Londrina e Maringá.

Clique AQUI para conferir o edital na íntegra

Maiores informações em breve!

comentários Compartilhe:
Categoria: Notícias

Ministério do Planejamento garante que concursos já autorizados estão mantidos! Nomeações dentro do número de vagas também!

comentários Compartilhe:
O Ministério do Planejamento publicou uma nota explicando como serão as regras daqui em diante para os concursos públicos. A nota, no formato de perguntas e respostas, serve para tranquilizar quem está estudando firme para os atuais concursos: eles continuam conforme o planejado.
3

Saiba mais sobre a medida de suspensão dos concursos públicos para 2016

Os ministros do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, e da Fazenda, Joaquim Levy, apresentaram, nesta segunda-feira (14), medidas adicionais para reduzir gastos, recompor receitas e melhorar o resultado primário do governo federal em 2016. Entre as medidas, está a suspensão de concursos públicos para os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) que implicará em redução de R$ 1,5 bilhão. Saiba mais sobre o tema:
 
A suspensão dos concursos abrange a quais situações?
A suspensão abrange o quantitativo de cargos previstos no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) de 2016.
Como fica a situação dos concursos autorizados em 2015 com editais previstos?
Os concursos já autorizados estão mantidos.
Haverá interrupção de nomeações em 2016 de concursos realizados em períodos anteriores?
As nomeações, dentro do número de vagas, estão mantidas e asseguradas dentro do prazo de validade final dos concursos.
Como fica a situação dos concursos já homologados e que aguardam autorização para nomeação?
As autorizações para nomeações dentro do número de vagas previstas no edital estão mantidas e asseguradas dentro do prazo de validade final dos concursos.
Como fica a análise dos pedidos dos órgãos para a realização dos concursos? Esta análise será interrompida?
De acordo com o fluxo estabelecido pelo Decreto nº 6.944/2009, os órgãos do Executivo Federal encaminham ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), até 31 de maio de cada ano, a solicitação para realização de novos concursos públicos. Diante disso, novas solicitações somente serão analisadas no primeiro semestre de 2016, para autorização somente em 2017. As solicitações enviadas para realização de concurso no exercício de 2016 ficam suspensas.
Existe uma relação dos concursos previstos para 2016 que estão suspensos?
Não existe relação de concursos previstos no PLOA 2016.
Sem novos concursos, como a administração irá se adaptar?
O governo federal está fazendo um esforço fiscal e todas as áreas devem se adaptar às novas realidades, a fim de garantir a eficiência da gestão pública.
Os concursos das empresas estatais estão também suspensos?
Não. O esforço fiscal previsto não engloba as empresas estatais.
comentários Compartilhe: