Categoria: Curiosidades

Uma breve análise e expectativas sobre o que foi a prova de ontem para agente da PF

comentários Compartilhe:

Polícia Federal

Ontem foram aplicadas as provas do concurso público da Polícia Federal para provimento de 600 vagas do cargo de Agente, um dos concursos mais esperados de 2014. Certame este que sempre cria muita expectativa por parte dos concurseiros da área policial.

As provas realizadas esse final de semana não fugiram às especulações no mundo dos concursos desde a liberação do edital pela organizadora CESPE/UnB, com direito à suspensão do certame e incertezas quanto à política de cotas, sem contar quanto ao nível da prova em relação aos certames anteriores, até mesmo com a prova de Escrivão de Polícia Federal realizada em 2013 pela mesma organizadora, já tradicional na elaboração das provas da POLÍCIA FEDERAL.

Vamos extrair as primeiras impressões da prova e relacionar com o que foi esperado pelos concurseiros:

A prova em si estava bem montada. Comparativamente aos certames anteriores de Agente de Polícia, a prova de Português estava extensa com 5 textos para 24 questões – gramática, interpretação e Redação Oficial – que refletia bem os padrões das provas policiais do ano de 2013/2014 como as provas da Polícia Civil da Bahia (PCBA), Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e Polícia Legislativa.

Informática representou bem o padrão do CESPE para provas policiais com questões de Segurança da Informação, Navegadores e uma inesperada sequência inicial de 5 questões sobre WORD 2013, LINUX e Windows 8 (muitos candidatos esperavam pelo W7, comandos do Linux, Excel e mais itens de Redes de Computadores e Malwares). Havia um mesclado com duas questões interessantes sobre o navegador Google Chrome e o aplicativo PuTTY – Não conhece o Aplicativo?! – Foram pontos altos da prova!

O tema do tráfico internacional de entorpecentes e sua expansão movida pela globalização estavam presentes em um dos textos de Português e criaram a base para a prova de Atualidades que se manteve tradicional ao contrário do que vinha sendo feito nos certames de 2014 pela organizadora. Isso mesmo, nada da tão esperada OPERAÇÃO LAVA-JATO. Nenhum item sequer, o que causou decepção para todos os concurseiros e professores de Atualidades que apostavam cegamente no tema.

Raciocínio Lógico, Economia, e Administração e Administração Financeira e Orçamentária (AFO) complementaram a prova. Destacamos ainda que Contabilidade e Economia estavam IDÊNTICAS ao conteúdo disponibilizado no Curso Agente de Polícia Federal 2014 (Teoria e Questões), os professores Claudio Zorzo e César Frade em 05 aulas cada um, conseguiram cobrir o edital e dar “de bandeja” 08 questões de economia (90% de aproveitamento!) e 09 de  contabilidade (100% de aproveitamento!).

O inesperado e preocupante: “Cadê a prova de Direito?!” – Este foi exatamente o pensamento dos concurseiros que estavam confiantes na parte de direito para lograrem uns pontos a mais e sair na frente, especificamente nas provas de PENAL e PROCESSO PENAL que ao todo contabilizaram apenas 12 itens restritos aos itens que não exigiam aprofundamento doutrinário e jurisprudencial e, pasmem, não exigiam o velho decoreba da lei seca. “Como assim?!” – Exato, os itens estavam mais diretos, medianos e direcionados para captar o essencial de quem estudou razoavelmente bem para o certame.

Isso significa que a prova de Agente de Polícia Federal 2014 é decidida nas demais áreas e as disciplinas de direito são coadjuvantes neste certame. Até o persistente Art. 5º da CF/88 apareceu timidamente em um único item sobre a necessidade de registro dos sindicatos no órgão competente.

O que tudo isso significa?

1º – Ponto de Corte: Esperava-se um ponto de corte em torno de 65% da prova, média do certame de 2012 para o mesmo cargo. A expectativa entre os concurseiros é que esta média fique em torno de 70%, o que reflete a média para as provas de Escrivão de Polícia Federal e a prova de 2013 da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

2º – Convocação para o Teste de Aptidão Física: Os certames da PF geralmente convocam o dobro de vagas para os TAF’s, o que pode refletir uma chance maior para os candidatos que passam para as etapas seguintes como exames médicos e psicotécnicos, ampliando as chances de ingresso no Curso de Formação.

3º – Excedentes: Como a prova foi atípica, é muito provável que tenhamos mais excedentes do que tivemos em 2012 que totalizaram 236 candidatos. Ou seja, mais gente se submeterá às etapas subsequentes do certame e não irão para a ACADEMIA NACIONAL DE POLÍCIA – ANP em Brasília que se restringe às 600 vagas  (480 em ampla concorrência).

Tivemos uma prova atípica, sentida por quem vinha em um ritmo forte de preparação com base na resolução de provas anteriores do CESPE. Alguma previsão de anulação? Salvo um erro ortográfico em um dos itens de informática, grafando a palavra “hijacker” como “hjacker”, pouco se pode questionar de uma prova tão direta que já está aflorando ânimos nos fóruns e páginas da internet.

Mais estranha que seu formato inesperado, só a prova discursiva envolvendo os atentados  às Torres Gêmeas de 11/09/2001 nos EUA, o grupo extremista Estado Islâmico e as reações da sociedade contemporânea ao terrorismo, deixando o mundo em estado de alerta. Assim como a todos que se submeteram ao referido certame.

comentários Compartilhe:

Posts Relacionados