Categoria: Curiosidades

Pesquisa promovida pelo Senado aponta ampla rejeição ao projeto que institui cotas em concurso públicos

comentários Compartilhe:

2

Matéria publicada hoje no site do Senado:

Teve grande repercussão na Central de Relacionamento do Senado o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 29/2014, que reserva aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista controladas pela União. A proposta encontra-se na pauta do plenário do Senado para votação em regime de urgência. Caso seja aprovada sem emendas, segue para a sanção presidencial.

A maior parte dos cidadãos que contataram o Alô Senado para se manifestar a respeito do assunto é contrária à aprovação do projeto, a exemplo de Rodrigo Ferreira Carvalho, de Taguatinga/DF, que defendeu que “o projeto tem mais cunho político do que propriamente social e eleva ainda mais o preconceito racial”. Segundo ele, “todo sistema de cotas é uma tentativa paliativa de suprir falhas administrativas do passado, principalmente na área da educação”. Alessandra Caixeta Mussel, de Belo Horizonte/MG, enviou o seguinte texto: “Eu acho que a partir do momento em que o acesso dos negros à universidade já é garantido por cotas, Prouni e Fies, eles podem competir em condição de igualdade em concursos públicos, pois têm acesso ao mesmo conhecimento. Fora que não deveria ser pela raça, mas sim pela classe social. Negro rico tem vantagem injustificada e branco pobre passa a ser duplamente excluído.”

Fonte: Senado

Eu sempre vejo com grandes ressalvas quaisquer pesquisas feitas na internet. Em regra elas produzem resultados distorcidos, em especial quando um grupo de interesse toma consciência da pesquisa e atua para fazer com que seu resultado aponte para uma determinada direção.

Pesquisa séria precisa escolher o público-alvo de forma aleatória dentro de determinados parâmetros, para o resultado não ser distorcido.

Fazendo essa ressalva preliminar, e sem ter conduzido pesquisa alguma, vi nas redes sociais o mesmo sentimento colhido pelo “Alô Senado”: uma ampla rejeição ao projeto.

Existe arraigado na mentalidade dos concurseiros que todos devem ser tratados de forma igual, isonômica, de forma independente das condições pessoais de qualquer um. Concorrência pura e simples é um conceito bem arraigado e facilmente compreendido.

O PL das cotas quebra isso.

Vai ser bom, importante, significativo ou um fracasso, só o tempo poderá dizer:

Senado também deve aprovar cotas para concursos públicos. Como deve ficar a lógica concorrencial de agora em diante?

De uma forma ou de outra, muito provavelmente na próxima semana ela será votada no Plenário do Senado, indo então para a sanção presidencial. Tudo depende apenas da votação da MP 630, que está trancando a pauta.

Acredito que antes da copa o assunto seja resolvido.

E não, não existe a menor possibilidade do projeto ser rejeitado. São favas contadas.

comentários Compartilhe:

Posts Relacionados