Categoria: Como se preparar

É possível estudar para mais de um concurso sem perder o foco?

comentários Compartilhe:

Depression Screening

Muitos alunos me procuram com a mesma pergunta: é possível estudar para mais de um concurso?

A princípio, não. E por que digo isso?

Estudar para um concurso público exige do candidato tempo, disciplina e muita dedicação. Os conteúdos programáticos de cada concurso são, em regra, bastante extensos e, por uma questão lógica, se você escolher estudar para mais de um concurso, ampliarão as disciplinas a serem estudadas.

Como já é de conhecimento de todos os concurseiros, quanto mais conhecimento, maiores são as chances de ser aprovado. Se você amplia o leque de temas a serem estudados, obviamente levará mais tempo para esgotá-los, consequentemente, maior será o tempo até que você consiga finalmente ser aprovado em algum concurso.

Além disso, preparar-se para concursos exige foco. E o que isto representa?

Muito simples! Você quer trabalhar em determinada área, a exemplo da carreira policial onde os temas propostos pela banca são ligados ao direito penal e, em contrapartida, faz inscrição para o concurso do Banco do Brasil que traz em seu conteúdo programático, totalmente desconexos com a área do direito, mais especificamente a penal.

O resultado disso, sem dúvida, será o fracasso, a não ser que você não trabalhe, não tenha filhos, não tenha compromisso com absolutamente nada, a não ser estudar, o que é praticamente impossível nos dias atuais.

Muitos concurseiros acreditam que, prestando vários concursos, aumentam as chances de ser aprovado em pelo menos um. Claro que o candidato que faz muitas provas tem uma maior facilidade nas posteriores. Mas este resultado pode ser alcançado da mesma forma, senão melhor, com treino prático. Hoje em dia as organizadoras disponibilizam em seus sites as provas dos concursos anteriores.

O ponto mais importante da questão é o candidato ter a consciência de que estudar para concursos públicos requer muita disciplina, sem falar na concorrência que está cada dia mais acirrada e a aprovação certamente virá para o candidato que estiver melhor preparado, ou seja, tiver um maior grau de conhecimento sobre as disciplinas propostas.

Em uma segunda análise, podemos dizer que é possível prestar mais de um concurso público se forem na MESMA ÁREA. Sim, é possível já que do conteúdo programático pode-se extrair matérias semelhantes e temas gerais em comum, como raciocínio lógico e português por exemplo.

Desta forma, o candidato então deverá fazer uma análise dos editais e fazer uma junção das disciplinas que abordam o mesmo assunto e, a partir daí, montar seu planejamento de estudos acrescentando as matérias distintas.

Mas, para que o candidato obtenha êxito com esta estratégia, alguns pontos devem ser suscitados. O primeiro deles é observar quanto tempo você tem disponível para estudar? Se não for muito, de plano lhe digo: ESQUEÇA! Estudar para um concurso exige tempo (muito tempo!), imagine para dois. Impossível.

Segundo ponto: Qual sua meta? Em quanto tempo você pretende alcançar a aprovação? Se seu objetivo for a curto prazo, suas chances de esgotar o conteúdo serão mínimas e quanto mais ampliá-las, menor será.

Agora, se sua pretensão de conquistar um cargo público for a longo prazo e você tem tempo para dedicar-se aos estudos diariamente, é possível que você consiga estudar para dois ou mais concursos, desde que você tenha como principal aliado, o tempo.

Há concurseiros que focam em um único concurso e simplesmente consomem as matérias propostas. Estes candidatos fazem parte de uma minoria levando em conta os candidatos que fazem inscrição sem sequer ter lido o edital, outros que desistem após a inscrição e mais alguns que não comparecem na hora da prova.

Mas é com os PREPARADOS que você deve se preocupar e usar como referência nos estudos. Estes candidatos são motivados pelo desejo de conquistar a tão sonhada carreira pública e sacrificam-se muito até a data da prova.

Para se ter uma ideia, o índice de acertos em concursos na área jurídica gira em torno de 80%. Alguns concursos onde a relação candidato x vaga é acima dos 200/1, a classificação só é possível aos candidatos que alcançarem mais de 90% de acertos na prova.

No concurso da Polícia Federal realizado em 2012, a nota de convocação para o curso de formação para o cargo de delegado foi acima dos 90%.

Confiram abaixo o índice de acertos para cada cargo:

Agente de Polícia Federal – 75,35

Delegado de Polícia Federal –  93,70

Escrivão de Polícia Federal – 81,21

Papiloscopista Policial Federal – 51,73

Fonte: PF

Portanto, jovens, concorrer com candidatos deste nível requer, no mínimo, que você esteja no mesmo patamar.

comentários Compartilhe:

Posts Relacionados