Categoria: Como se preparar, Cursos, Estatísticas

Concurso do TJ/RJ tem mais de 32 mil inscritos para o cargo de analista judiciário

comentários Compartilhe:

 TJRJ_sede

Conforme informações da Folha Dirigida, o coordenador de concurso da Fundação Getúlio Vargas (FGV), José Anastácio Abreu, o concurso para analista com especialidade do Tribunal de Justiça do Estado Rio de Janeiro (TJ/RJ) contou com mais de 32 mil inscritos.

O maior número de inscrições foi para o cargo de analista com especialidade em execução de mandados, totalizando aproximadamente 16 mil inscrições, o que gerou uma concorrência de 470 candidatos por vaga. O segundo cargo mais disputado foi o de comissário de justiça que teve mais de 9.500 inscritos, com uma relação candidato/vaga de 413/1.

Já para o cargo de assistente social, foram contabilizadas 3.800 inscrições. Para o cargo de psicólogo, o órgão recebeu mais de 2.400 inscrições, gerando uma concorrência de 83 candidatos por vaga.

Segundo o coordenador, os números oficiais referente às inscrições serão divulgados em breve, então, os candidatos poderão imprimir os cartões de inscrição diretamente no site da organizadora a partir do dia 8 de dezembro.

Como se preparar com foco e qualidade?

Muito bem! Além da necessidade de intensificar os estudos por razões óbvias, ou seja, o curto espaço temporal, é importante que o candidato treine por meio da resolução de provas anteriores, em especial, a última aplicada para o cargo de técnico. Além disso, manter o foco é essencial para se ter um bom rendimento.

Para isto, é necessário adotar uma estratégia para se alcançar o tão sonhado objetivo: aprovação!

E aqui, uma vez que este espaço é para tratar de concursos, nos perguntamos: o que é estratégia aplicada aos concursos públicos?

Essa é uma pergunta importantíssima, pois ter uma estratégia em um ambiente competitivo coloca o candidato à frente dos seus oponentes. Diferentemente do Exame de Ordem, onde não há concorrência (mas que não prescinde de estratégia também), o universo dos concursos públicos é bem mais árido e exige mais sacrifícios por um tempo consideravelmente maior.

Mas antes, para nos situar, vem a primeira pergunta: o que é estratégia?

Segundo Henry Mintzber, autor especializado em estratégia no ambiente corporativo, a estratégia revela-se como uma maneira de se projetar o futuro, com base em um agir formalizado e articulador de resultados, tudo conduzido por um processo decisório.

Em outras palavras, estratégia seria ter uma meta e articular de forma organizada uma série de ações deliberadas para se atingir o objetivo pretendido.

Podemos falar em estratégia para a guerra (óbvio!), como para aumentar as vendas de uma determinada marca de carro (em nível global ou regional), como para lançar um foguete ao espaço (lutando contra a natureza), para arrumar um emprego, passar no Exame da OAB e, evidentemente, ser aprovado em um concurso público.

E estratégias distintas podem ser concebidas não só para o conceito global de aprovação, mas, em termos específicos, dentro das mais diversas etapas de preparação:

1 – estratégia de escolha de um concurso;

2 – estratégias de estudo;

3 – estratégias de resolução de uma prova;

4 – estratégias de gestão emocional;

5 – estratégias de aproveitamento do tempo entre outras passíveis de serem concebidas.

E por que então, ao fim, falar em estratégia aplicada aos concursos públicos?

Por uma razão simples: o concurseiro tem um objetivo, e pretende atingi-lo dentro do menor tempo possível. Somando a isso, existem milhares e milhares de outros concurseiros sonhando com o mesmo objetivo, o mesmo cargo, e não há vagas suficientes para todos.

Moral da história: poucos ficam com as vagas; muitos ficam frustrados e continuam na fila.

Para que você não seja mais um “na fila”, deverá fazer o que a maioria não faz, ou seja, estudar, e estudar MUITO!

Isso significa perder momentos agradáveis com os amigos em um barzinho, reuniões de família onde só você estará ausente, trancado no quarto enquanto os demais reclamam, dentre outras situações que irão te fazer pensar em desistir.

É nesse momento que você vai perceber o início da sua capacidade de se destacar da maioria. É a única forma de alcançar o tão sonhado desejo de integrar a carreira pública.

Pois bem! E como fazer isso com tão pouco tempo?

Estude as matérias mais importantes e com maior peso. Este não é o momento de se apegar à matérias gerais, com conteúdo extenso que irá lhe tomar tempo e te fazer absorver apenas uma parte mínima da matéria. Foque nas matérias específicas que irão ser abordadas referente ao cargo pretendido, por exemplo: para o cargo de Execução de Mandados, é necessário dar mais atenção à disciplina de Processo Civil e assim por diante.

O ponto aqui é: conscientizem-se da necessidade de estruturarem uma estratégia, que aqui pode ser chamada, em termos genéricos, de PLANEJAMENTO! Seja a longo ou curto prazo. Óbvio que estudos a longo prazo tem efeito mais significativo de chances reais para se alcançar o objetivo, entretanto, é possível traçar uma meta mesmo que não haja muito tempo para estudar.

Pensando nisto, o CERS Cursos online oferece a seus alunos um curso especial de dicas teóricas e de  resolução de questões da FGV (banca que aplicará o concurso), para o cargo de ANALISTA JUDICIÁRIO – EXECUÇÃO DE MANDADOS, abordando os principais temas de cada disciplina a fim de antever a forma como tais conteúdos serão cobrados nesse certame.

CURSO PARA CONCURSO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO 2014 – ANALISTA JUDICIÁRIO (EXECUÇÃO DE MANDADOS) - PROJETO UTI – DE DICAS TEÓRICAS E RESOLUÇÕES DE QUESTÕES

O curso será composto de 32 encontros de 02 horas, sendo cada encontro dividido em 4 blocos de 30 minutos, de acordo com a seguinte carga horária:

UTI_TJ-RJ

Lembrando que amanhã tem a Black Friday do CERS, Portal Exame de Ordem e Portal Carreira Jurídica!

Não percam tempo e comecem já os estudos!

comentários Compartilhe:

Posts Relacionados