Categoria: Estatísticas

Candidatos graduados apostam cada vez mais em concursos de nível médio

comentários Compartilhe:

BB_sede

É cada vez mais comum candidatos graduados ou em fase de conclusão de curso superior buscarem cargos de nível médio, especificamente, vagas em bancos públicos. O atual concurso do Banco do Brasil para provimento de 2.499 vagas mais formação do cadastro de reserva para o cargo de escriturário de nível médio, confirmou a atual situação registrando um recorde no número de inscritos para a região.

Concurso do Banco do Brasil registra recorde no número de inscrições!

Foram mais de 530 mil inscritos, gerando uma concorrência geral de aproximadamente 214 candidatos por vaga, isto sem levar em consideração a cota de vagas para negros e portadores de deficiência. Mas o que mais chamou a atenção foi que aproximadamente 66% dos inscritos possuem ou estão concluindo curso superior.

De acordo com dados do próprio banco, isto se repete também com os funcionários efetivos, onde cerca de 68% dos 41 mil escriturários possuem formação de ensino superior, como Rodrigo Regis de Oliveira o qual prestou concurso para o banco quando ainda estava concluindo o curso de administração.

“Sempre me identifiquei com a carreira bancária, fui estagiário da Caixa Econômica, e desde quando comecei a cursar faculdade meu foco era passar em um concurso e tentar uma ascensão interna, de preferência nas diretorias relacionadas a minha área, como as de marketing e gestão de pessoas”, conta o funcionário.

Assim como Rodrigo, a possibilidade de ascensão profissional dentro da instituição bancária incentivou outros funcionários como Rebecca da Silva Carvalho, escriturária há três anos, que busca construir uma carreira consolidada. A funcionária explica que, a princípio, sentiu que estava regredindo ao se candidatar a um cargo de nível médio quando já possuía curso superior, no entanto, acredita que no futuro irá “andar dez casas para frente”.

Já para a maioria dos candidatos, o que atrai é a estabilidade que cargos desta natureza oferecem. Assim foi para Natália Carvalho, pós-graduada em publicidade e recentemente convocada para assumir o cargo de escriturária, a qual relata que já não aguentava mais a instabilidade do ramo privado.

“Eu não via mais possibilidade de crescer na agência publicitária em que eu estava, meu salário era o mesmo há muito tempo. Tive melhores propostas de outras empresas, mas não aceitei. Aqui no banco quero fazer um bom trabalho e sei que posso crescer, quem sabe trabalhar na diretoria de marketing”, explicou a escriturária.

Estabilidade, plano de carreira, possibilidade de uma boa aposentadoria, salário fixo, carga horária semanal reduzida de 30 horas, além de outros benefícios que o banco oferece como plano de saúde e participação nos lucros, são atrativos para quem pretende ingressar na carreira.

Além disso, outros problemas que assolam o universo do competitivo mercado de trabalho para os que possuem nível superior e a precarização de determinadas profissões, a exemplo da carreira de advogado, assunto este tratado no Blog Exame de Ordem, tornam estes concursos de nível médio um alvo para candidatos graduados.

A lei da selva, ou, R$ 17,00 por uma audiência, ou, mais uma evidência do colapso da profissão

O diretor de gestão de pessoas do Banco do Brasil, Carlos Netto, diz que a participação de candidatos graduados nos certames de nível médio é um fenômeno comum.

“Somos a maior instituição financeira da América Latina, apresentamos resultados consistentes para os acionistas, temos uma política de gestão de pessoas reconhecida pelo mercado, além de desempenharmos um importante papel social no país”, explica o diretor.

O diretor afirma que o banco oferece diversos benefícios, tais como plano de carreira, desta forma, o funcionário que possuir graduação de ensino superior, curso de línguas e outros cursos que são até oferecidos pelo banco, tem maiores chances de ser chamado para a entrevista.

No entanto, o banco enfrenta uma ação judicial movida pelo Ministério Público do Trabalho do Distrito Federal (MPT/DF), a qual tem por objeto impedir que hajam seleções internas e obrigar a realização de concursos públicos para cargos de nível superior.

Na sentença, a juíza afirmou ser inconstitucional escriturários que possuem nível médio ocuparem cargos de nível superior por meio de seleções internas e deu um prazo de seis meses para que todos os funcionários sejam reconduzidos às suas funções de origem. O banco informou que irá recorrer da decisão.

O Concurso

A seleção será destinada ao provimento de 2.499 vagas mais formação do cadastro de reserva para o cargo de escriturário, com remuneração inicial de R$2.227,26, por uma jornada de trabalho de 30 horas semanais.

Os candidatos aprovados serão lotados nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. A Fundação Cesgranrio é a organizadora responsável pela realização do certame.

As provas serão aplicadas previsivelmente no dia 15 de março de 2015.

Com informações do CorreioWeb

comentários Compartilhe:

Posts Relacionados